Computador popular

Que Apple, IBM/Lenovo, HP, Dell que nada! O Laptop de US$ 100 do MIT também está em risco. Vejam o mais revolucionário computador pessoal desde a criação do Apple I em 1976:

O Computador Popular


Já a venda na bodega perto de você!

Via:The Real Cuba

Exemplo de liberdade de expressão


Hoje, enquanto tomava o meu café da manhã, ouvia a uma das rádios da base naval americana (não se esqueçam q eu vivo em Cuba, a uns 30 km da base), fiquei admirado c/algo que ouvi.
Todas as rádios da base são estatais, algumas pertencentes ao exército outras do correspondente ao ministério das comunicações nos EUA. Seus sinais são o suficientemente fortes para serem ouvidos a um raio de aproximadamente 60 Km de distância da base (apesar de todos os esforços do governo cubano em bloqueá-los). São 2 rádios AM e 3 FM, c/estilos variados e muitas vezes de bom gosto.
Uma das que ouço pela manhã é a FM NPR (National Public Radio), que transmite notícias do mundo todo como também várias dos EUA e quase nenhuma do exército (que não me interessam).
Todos os dias ela trata de ter uma entrevista rápida q normalmente tem a ver c/algum tema de relevância internacional ou nacional. Hoje esta entrevista foi c/um ex-secretário do governo Clinton e o tema era os esforços de recuperação de New Orleans e o delta de Louisianna. Teceu fortes e contundentes críticas tanto ao governo daquele estado americano, como principalmente ao governo nacional, que segundo ele "não se esforçava o suficiente na recuperação deste patrimônio americano que é o delta de Louisianna". Tb não poupou ao seu ex-chefe, Bill Clinton, que segundo ele só apareceu naqueles dias que imediatamente sucederam ao desastre natural e nunca mais, e que poderia usar sua influência e credibilidade mundiais para obter mais recursos para a recuperação daquela região.
O que de certo me admira de tudo isso foi que talvez eu esteja desacostumado c/a liberdade de expressão, entretanto pelo tom que falava o entrevistado, como também a sua entrevistadora que era paga justamente pelo governo a quem descordava naquele momento, fez-me até esquecer que órgãos públicos de comunicação podiam ser de grande importância para a liberdade de expressão de um país.
Claro que isso tb serve de exemplo à Radiobrás, que nunca ouvi tecer críticas ao governo e que tão mal utiliza (e nos irrita) esse espólio de ditadura q é "A hora do Brasil".
E não preciso nem comentar dos veículos de comunicação cubanos, aonde se um jornalista criticar até mesmo um filme que Fidel goste, poderá sofrer duras sanções.

Dívida Zero

A preocupação de Mula (err, Lula) c/o social é percebida até no exterior. Vejam esta manchete do jornal esquerdista argentino, Página/12: "Dívida zero ganha do Fome zero" Isso se deve logicamente ao pagamento antecipado de US$ 15,5 bilhões de dólares em dívidas c/o FMI.

Agora veja quem está contente c/isso:
Diretor do FMI diz que Brasil está de 'parabéns' por pagar dívida


Depois disso, ainda o Luladrão (ops, Mula; quer dizer, Lulla... ah, vcs sabem sobre quem é q estou falando) e seus asseclas tem a desfaçatez de conclamarem que todas as denúncias contra o seu governo não passavam de um "denuncismo barato" das classes ricas contra o legítimo governo proletário. Não existe na história política nacional, desde o fim da ditadura, um governo que tenha sido tão favorável aos banqueiros, que são a essência do capitalismo e pilares do liberalismo. O interessante que na página do governo cubano contra a globalização, destacam à Lulla como um dos expoentes na luta contra o capitalismo e o neo-liberalismo (incluindo uma foto do póster de campanha dele).

Uma notícia boa e outra ruim
Recentemente (dia 24/112005) Fidel apareceu mais uma vez na TV, no programa Mesa Redonda, em um pronunciamento de 4 horas e meia para anunciar duas coisas que se encaixariam bem naquela conhecida pergunta: "Tenho 2 notícias. Uma boa e uma ruim. Qual vc quer ouvir primeiro?"

O tema era "Incrementos en las pensiones, salarios y tarifas eléctricas". Vou seguir a ordem utilizada por Fidel e começar pela suposta boa notícia.
O governo decidiu aumentar o valor das pensões e salários dos trabalhadores da administração central do Estado e Poderes Populares (que são os equivalentes às nossas câmaras de vereadores e deputados). Em relação às pensões, as de valores mais baixos receberam aumentos que oscilam entre 6,3 e 9,3%. Quanto aos salários o aumento médio foi de aproximadamente €1 e meio. Vale notar que esta classe de trabalhadores não recebiam um aumento há 24 anos!!!
Pois bem, nessa hora os cubanos que assistiam à TV ou ouviam ao rádio bateram palmas, gritaram ¡Viva la Revolución!, ficaram emocionados, olhos marejados e admirados com a benevolência daquela mãe que é a revolução. Pois bem, daí então percebia-se um sem jeito em Fidel, e então a câmera voltou-se ao jornalista principal da Mesa Redonda e anuncia então o outro tópico: o incremento nas tarifas elétricas.
Passa-se então uma longa introdução, falando de como se iluminou tantas partes do país desde quando a Revolução triunfou em 1959, que até mesmo no mais intrincado monte tinha uma planta elétrica trazendo àquelas pessoas a comodidade de poderem ver sua televisão ou usarem sua panela arrozeira (que obviamente foi dada pela magnífica revolução, c/o apoio dos camaradas comunistas chineses e que o capitalismo ianque nunca proveu aos seus cidadãos), que mesmos c/os danos causados todos os anos pelos seguidos furacões a luz era sempre prontamente restabelecida (e novamente mencionando como na Flórida este ano tinha locais q passaram até 1 semana s/luz), tudo isso entremeado com alguns pequenos comentários engraçados do Comandante e seus "causos".
Mas o clima foi ficando um pouco mais sério de novo, começou-se a falar dos "desafios" de prover todas essas benesses baixo tão "feroz e assassino bloqueio", do aumento dos valores no petróleo no mundo principalmente depois do início da intervenção americana no Iraque, do alto custo na reforma do sistema elétrico nacional e a novidade do dia: os "novos ricos" cubanos. Foi assim que Fidel chamou àqueles que se aproveitam de negociatas no mercado negro, do comércio particular ilegal, dos usurpadores da nação, que consumiam desmesuradamente a energia elétrica pois lhes era barata graças ao dinheiro fácil que ganhavam.
Meu sogro, um revolucionário cegado e entorpecido pelas mentiras governamentais, olhava atentamente televisão, repetindo cada trecho de frase de Fidel como se fosse palavras vindas de Deus. Admirava-se c/a franqueza e a percepção e sensibilidade do Comandante em descrever tão bem à esses malditos gusanos!
O velho ditador continuava ainda sua exposição, dizendo agora que o aumento maior estava direcionado justamente à esses novos ricos, que iria combatê-los e que não haveria complacência estatal contra tais malfeitores (no dia seguinte, no jornal Gramna, o principal do país, já demonstrava a primeira ação tomada, prendendo _corretamente_ à um homem que era administrador de um armazém estatal e que roubava e vendia chapas novas de radiografia p/artesãos fazerem coisas que seriam posteriormente vendidas em divisa à estrangeiros).

O aumento seria gradualmente menor para consumos inferiores de energia e que não sofreriam aumentos aqueles que consumissem menos de 100 kW/h.
Passa-se então a vez à Ministra de Economia y Planificación, que rapidamente menciona como serão os aumentos, evitando mencionar porcentagens (enquanto todas as demais falas, tanto dela como de Fidel e outros presentes, foram sempre acompanhadas de pomposos números porcentuais, e comparativamente c/mirradas cifras de países capitalistas ou de antes da revolução) e enfocando mais nos valores per sè, em centavos de peso cubano por kW/h.
Novamente Fidel torna a falar, agora parecendo estar mais aliviado e num clima mais descontraído repete as mesmas coisas de antes e encerra o discurso. A percepção geral que tive foi que todos estavam satisfeitos c/o aumento, que realmente tinham que acabar c/esses malditos aproveitadores que consumiam todos os pequenos recursos da já bloqueada nação. Ah, e como tanto mencionavam os aumentos consideráveis dos salários!
Confesso que naquele momento não me sentia tão chocado de constatar aquilo como agora estou. O incrível foi que no bairro aonde vivo, estávamos sem luz neste dia desde o meio dia até às 9 da noite, quando Fidel começava a falar então dos novos ricos. Tinha acompanhado o discurso dele até então por rádio, ligado às alturas aqui. E o mais incrível, o meu sogro culpava a algum irresponsável na empresa elétrica por deixar-nos "erroneamente" s/luz naquele momento tão importante. :-s
Pois bem, o aumento nas tarifas elétricas foi dado assim:

Recapitulando, para algumas pessoas o aumento salarial dado variou entre 6,3% a 9,3%, enquanto as tarifas de energia elétrica subiram entre 50 a 333%. Ou seja, a boa notícia não serviu de nada, pois a partir de janeiro, quando a nova tabela de tarifas elétricas estiver valendo, o aumento servirá apenas p/pagar a conta de luz, não dando nenhum incremento no poder aquisitivo e muito menos na qualidade de vida da população. E isso considerando se eles consomem até 150 kW/h, senão o rombo nas finanças familiares é certo.
Agora, o que passa c/aqueles que não foram agraciados c/o aumento agora e nem os outros 6 anunciados neste ano (médicos, militares, pensionados, trabalhadores sociais, casos sociais)? Deixo a resposta c/vocês.
Mas vejamos agora aqui na casa de meus sogros. Nosso consumo mensal está na faixa do aumento de 333%. Eu me comprometi a ajudar em parte o pagamento da energia elétrica e para mim não será um transtorno tão grande este aumento pois recebo em moeda forte (€), entretanto o que fazem eles c/o restante da conta? E se caso eu não estivesse aqui.
Continua...
Continuando...
Não há mais o que economizar aqui pois logicamente existem pouquíssimos aparatos elétricos (fogão elétrico, panela arrozeira, ferro, um rádio pequeno, 2 ventiladores, geladeira e televisão) e quase todas as lâmpadas são de tubo frio (mais econômicas). Os grandes vilões daqui são o fogão elétrico (feito em casa, c/uma resistência serpenteada dentro de um tijolo escavado), a geladeira russa velha e a televisão igualmente russa de 17 anos e quase por quebrar-se.
Entretanto daí surgem os dilemas: a casa depende deste único fogão pois o governo é incapaz de prover gás liqüefeito a preços condizentes c/a realidade cubana (o valor de um botijão pequeno novo está em €35 e para cada enchimento €13), o perigoso querosene (do qual 80% da população aqui usa como praticamente único meio de cozinhar) tem sido brutalmente racionado e seu valor tb aumentado (em virtude do aumento dos valores do petróleo) e os sonhados e prometidos fogões elétricos do governo, anunciado com fanfarra e discursos durante 3 dias consecutivos em abril, continuam assim: promessas. E se chegarem agora, a população ainda receará usá-los pelos novos preços das tarifas elétricas.
A geladeira consome vorazmente a energia, e imagine então no calor de 30ºC q ainda estamos aqui em Guantánamo. Poderia ter uma economia de energia caso fosse trocado o ímã da porta (p/melhor vedação e conseqüentemente maior economia de energia) e recondicionamento do motor. Isso p/não considerar o ideal, q seria a troca. Acontece que simplesmente não se encontra nem no mercado negro o maldito ímã, e o valor de condicionamento de motor (feito em casa, c/peças de outras geladeiras ou criadas) custa bastante caro (no mínimo €40). O preço de uma geladeira nova, de porte parecido c/a daqui (ao redor de 250 L), s/freezer, mais simples e barata custa apenas €400. Os meus sogros c/seu salário combinado de €12 nunca conseguirão comprar uma, e esse valor é altamente absurdo inclusive p/mim (chequem q tipo de geladeira poderia comprar c/esse valor aí no Brasil, q já é caro).
A televisão, c/sua tecnologia defasada e estado de conservação consome horrores comparada c/uma moderna de mesmo porte. Apesar de eu rezar p/q ela se quebre logo p/não ter q aturar mais a péssima programação daqui, o pessoal em Cuba é fanático por novelas (principalmente brasileiras) e filmes, além de praticamente o único entretenimento. A TV prometida pelo governo tanto ao meu sogro, como à minha sogra, continua como os fogões elétricos: uma promessa...
Some tudo isso à estúpida inflação de 8 a 12% ocasionada pela desvalorização do dolar e sua penalização, já que os preços anteriores de produtos nas "tiendas" continuaram os mesmos da época da paridade ou aumentaram.
Por isso tudo, o dia 25/11/2005 será marcado pelo dia da seguinte pergunta: você quer ouvir primeiro a notícia ruim ou a notícia pior?
Defendendo a universidade



Esta foto foi a única que consegui tirar sobre o "Día de la Defensa" na faculdade. Nela vocês podem ver vários alunos no estacionamento da faculdade, se agrupando para receberem as ordens dos militares da cátedra militar como também de professores fardados.
No alto da escada, na parte esquerda, está o chefe da cátedra militar e o de maior ranking ali presente: um Tenente-Coronel, que neste exato momento apontava sobre minha presença ali c/a câmera (que na hora da foto eu ainda não tinha percebido isso), e que logo depois veio a falar comigo sobre que era "proibido tomar fotos" pois ali era considerada hoje "uma área militar".
Eu realmente não estava com sorte como fotógrafo neste dia.
Visualizando a defesa
Infelizmente eu não tenho muitas fotos sobre o "Día de la Defensa". A razão disto são 2 coisas: várias fotos foram tomadas ainda quando o sol não tinha raiado e porque fui proibido de toma-las por militares.
Tentando usar o flash da câmera para poder compensar a falta de iluminação, fui facilmente descoberto pelos militares que comandavam as atividades e impedido de sacar mais fotos. Queriam até tomar o meu rolo de fotos, até quando expliquei que minha câmera era digital e q já tinha apagado as fotos por causa da iluminação precária (mentira). Continuaram a conversar c/o meu sogro e disseram q estava terminantemente proibido de tomar fotos.
Por que? Será que eles tem vergonha de mostrar o seu papel anacrônico ante uma sociedade que clama paz e que instituições como a ONU estão muito mais fortalecidas e independentes do que nos velhos tempos da luta clandestina da revolução? E mesmo se EUA atacassem à Cuba (uma probabilidade remotíssima, até mesmo entre os extrema direitistas americanos e cubano-americanos) o apoio a tal absurdo ato seria mínimo (vide as recentes votações na ONU sobre as resoluções contra o bloqueio americano à ilha, aonde na última houve uma derrota abrumadora dos EUA c/apenas 4 votos de apoio e quase 2 centenares de contrários).
Isto nada mais serve como mais uma forma de controle do governo sobre os estado emocional da população, criando o que na computação chamamos de FUD (Fear, Uncertity and Doubt ou traduzindo Medo, Incerteza e Dúvida). Colocando os ianques como o Big Evil e responsabilizando-os sobre todos os fracassos cubanos (via "bloqueio assassino") faz c/q as pessoas receiem de sua vida fora da "segurança" na ilha e, por tabela, lhes incite ainda mais o fervor patriótico, esquivando-as de questionarem por quê falta eletricidade nas suas casas por longas 10 horas quase todos os dias, por quê o querosene que quase 80% delas usam para cozinhar está mais caro e faltando obrigando-as muitas vezes a terem q usar carvão, por quê os alimentos estão mais caros, por quê elas ainda ganham tão pouco e tem que submeter-se à longas filas p/comprar seus mantimentos básicos e racionados.
E ainda a esquerda c/olhos marejados conclama "¡Viva Cuba libre!"
Sim, muy libre....

As fotos
Postei uma foto sobre o dia de ontem no meu fotoblog e outras duas estarei publicando aqui no blog.

Ouça ao Defensa3.wav

http://www.easy-sharing.com/147480/defensa3.WAV.html

Classificação:

Os arquivos de som estão locados no serviço gratuito do Easy Sharing e ficam disponíveis até 30 dias depois do último download. Caso vc não consiga baixá-lo, deixe um comentário para que eu possa renovar o link. Caso vc não entenda o que está ouvindo, leia o post "Uma Defesa multimidia".

Ouça ao Defensa2.wav

http://www.easy-sharing.com/147468/defensa2.WAV.html

Classificação:

Os arquivos de som estão locados no serviço gratuito do Easy Sharing e ficam disponíveis até 30 dias depois do último download. Caso vc não consiga baixá-lo, deixe um comentário para que eu possa renovar o link. Caso vc não entenda o que está ouvindo, leia o post "Uma Defesa multimidia".

Ouça ao Defensa1.wav

http://www.easy-sharing.com/147448/defensa1.WAV.html

Classificação:

Os arquivos de som estão locados no serviço gratuito do Easy Sharing e ficam disponíveis até 30 dias depois do último download. Caso vc não consiga baixá-lo, deixe um comentário para que eu possa renovar o link. Caso vc não entenda o que está ouvindo, leia o post "Uma Defesa multimidia".

Veja o video sobre o "Dia de la Defensa"

http://www.easy-sharing.com/147528/defensa.M4V.html

Classificação:

Este vídeo está em formato MPEG-4. Escolhi este pois tenho uma conexão à internet muito cara aqui (€ 6,00 a hora de conexão à 33.6 Kbps) e tinha que escolher uma compressão ótima s/afetar muito a já péssima qualidade do cineasta aqui. Para poder visualizá-lo, recomendo o Quick Time. Caso vc não o possua, pode baixá-lo no site da Apple (o link está à esquerda, na seção de "outros sites". E já se for baixá-lo, pegue logo o iTunes, que além de ser a melhor jukebox existente, vem c/o Quick Time embutido. São dois downloads em um. Versões para Windows (2000 em diante) e Mac. Se vc usa versões anteriores de Windows, Linux ou outros OS menos comuns (como FreeBSD e BeOS), recomendo baixar então o VLC, excelente player de vídeos (uso direto).

Uma defesa multimidia
Eu mencionei no meu post anterior que desta vez as coisas eram diferentes porque dentre outras coisas eu tinha uma câmera digital, um computador e acesso à internet.
Mas então, por quê mencionei isso? Porque eu tenho documentado minha experiência em vídeo, fotos e sons. Sim, graças às maravilhas da tecnologia feita pelos malditos ianques que querem atacar esta pacífica ilha (e que lhe impõe um "assassino bloqueio"), eu pude gravar em multimídia a experiência por mim vivida e comparti-la com vocês.
Eu tenho um vídeo, algumas fotos e 3 arquivos de som. Primeiro falo do vídeo.
Este foi gravado logo após que comecei a ouvir o carro de som percorrer pelas ruas do bairro e quando percebi que estava por passar em frente à minha rua (rua que atravesso todos os dias para ir à faculdade, que está do outro lado), saí correndo a gravá-lo. Vocês podem apreciar um típico carro estatal cubano (um Lada), aonde tinham 3 pessoas dentro, entre elas a locutora, a anunciar a altos decibéis sobre a cita obrigatória que os guantanameiros tinham c/a pátria hoje.
Desculpem-me a qualidade, pois tinha gravado isso mais p/minhas recordações pessoais, entretanto vi que o vídeo poderia ter um interesse público e por isso estou publicando. Então dêem um desconto ao amador de reserva de cineasta aqui. :)
Então tenho 3 arquivos de som aonde gravo outros trechos gritados do carro de som. O defensa1.wav diz o seguinte:

"En caso de ataque aéreo,
Toda la población
Debe proseguir a las obras asignadas al efecto
Con disciplina, entusiasmo
Estar preparados para la guerra, esquivarla y ganarla.
Compatriotas, domingo,
Día 11, día nacional de la defensa,
Apurados con alegría a las actividades asignadas al efecto.
Compatriotas, la cita hoy es con la patria!"


No defensa2.wav, vocês podem apreciar um galo cantando (era bem cedo da manhã, e tudo escuro ainda!) e como esses FDP acordam ao meu filho de 1 ano:

"(...)la cita hoy es con la Pátria!
Atención! Atención! A toda la población,
Domingo, día 11,
Dia Nacional de la Defensa.
[o galo canta e meu filho começa a despertar]
Domingo, día 11,
Dia nacional de la defensa.
[meu filho acorda chorando]"


Em defensa3.wav, vcs poderão apreciar um pouco o repertório de frases que a locutora tinha que declamar:

"(...) por los medios de destrucción enemigas
Respondamos con eficiencia
a las tareas de salvamento y rescate
Con disciplina, responsabilidad; compatriotas,
La cita hoy es con la Patria!
Como en la tierra, como en Girón,
habrá siempre 1er. de Enero.
Compatriotas, la cita hoy es con la Patria!
Revisaremos la gloria combativa de nuestros combatientes internacionalistas
Como en África, en Angola
(outras batalhas)
Nos espera la victoria
Siempre habrá 1er de Enero.
Ante las adversidades que nos imponga el enemigo
Prepararse para la Defensa.
Compatriotas, la cita hoy es con la patria!"


Para quem não sabe, Girón foi a praia na Baía de Porcos aonde desembarcou um exército mercenário, ajudado pelo governo americano, que tentaria derrubar ao governo cubano, em 1961.
Primeiro de Janeiro é o dia quando os rebeldes (entre eles Fidel e Camilo Cienfuegos) entram vitoriosos em Havana e é considerada triunfada a revolução.
Cuba sempre tratou de internacionalizar seu movimento revolucionário por outros países, aonde atuou na África (em Congo e Angola _sendo esta celebrada pelo seu 30º aniversário).
As fotos ainda não pude postá-las, entretanto coloco um post aqui avisando que já estão disponíveis no meu fotoblog (visite, o link está na seção de links, ao lado esquerdo) e possivelmente no meu Flickr.
A razão do meu regresso

Então, por quê voltei a usar o meu blog? A razão foi Defesa. Sim, ontem, domingo, dia 11/12/2005 foi dia nacional da defesa em Cuba. Nem me lembrava desta data, e voltava cansado de um plantão e já preparando-me p/dormir, começo a ouvir um barulho de um carro de som, que recordava à população através de uma voz feminina que hoje eles tinham uma cita c/a pátria.
Que horas eram? Pouco mais da seis da manhã, ainda escuro.
Eu já tinha passado por outros "Meteoros" (como são popularmente chamados estes dias de treinamento militar geral), entretanto esse de ontem foi diferente. Primeiro porque estava ainda vivamente acordado, anotando umas coisas no meu computador e já contando c/um descanso tranqüilo de um sempre educativo plantão. Segundo porque tinha em minhas mãos uma câmera digital, um computador e acesso à internet. Terceiro porque estou em uma fase que quero assimilar e guardar ao máximo tudo que passo, experimento e vejo aqui em Cuba.
Mas primeiro, deixe-me explicar mais ou menos o que é "Día de la Defensa". Estes são dias determinados pelo governo cubano para o treinamento limitar geral da população, em todos os níveis, organizado pelas organizações de massa e de defesa em Cuba. Nestes dias ocorrem simulações de agressão inimiga, resgate e salvamento, conhecimento de abrigos e passagens subterrâneas, preparação para o ataque, conhecimento dos locais de armazenamento de armas e munição e instruções gerais em caso de guerra. Todos estão obrigados à participar: homens, mulheres, jovens (a partir dos 15 anos), estudantes lotados em centros estudantis (como faculdades e escolas internato), médicos, militares e até mesmo presos.
No exercício de hoje, que oficialmente começou à 8h (mas a encheção de saco já vinha desde às 6 da manhã), foi feito uma grande propaganda na TV, jornais e rádios, e que na circunscrição que vivo, às pessoas lhes fossem introduzidas o manejo de armas e uma preparação mais exaustiva contra o ataque externo.
Foram trazidos morteiros, uma metralhadora de grande porte c/tripé, vários fuzis (como os famosos AK-47 e sua versão dobrável, o AKMS), um blindado de pequeno porte e vários bunkers foram montados. O que antes era um pacato bairro, de ruas s/asfalto e empoeiradas, tornou-se um palco de exibição de práticas militares, c/verdes olivos ordenando, civis em fila obedecendo, outros correndo e pulando obstáculos c/AK-47 empunhadas, disparos de metralhadoras e morteiros, mulheres carregando pesados sacos simulando cargas de munições, chão tremendo e eu não conseguindo ter meu tranqüilo domingo.
Enquanto isso, olhava na faculdade (eu moro em frente à faculdade de Medicina). Vários estudantes, de várias partes da cidade, ainda chegando sonolentos provavelmente despertados tb por um carro de som convocando-os à cumprirem seu dever de cubanos honrados e comparecem na cita obrigada c/a pátria (mas tb preocupados em mostrar-se presentes p/não perder seus difíceis pontos conseguidos nas provas normais da carreira de medicina e serem "alunos integrais"). Acumulavam-se todos no estacionamento que agora era tomado por carros militares aonde se viam entre estes e os estudantes militares e professores fardados prontos a prepararem à população contra uma agressão externa. Formaram-se grupos, cada um destinado a tarefas e locais diferentes. Entre as tarefas compunham o conhecimento dos túneis de evacuação, local de armas, saídas seguras, palestras sobre o brilhantismo da revolução cubana e suas glórias militares, táticas de guerra, e aulas sobre como os EUA poderiam atacar à Cuba.
Compareci à faculdade c/minha câmera e minha esposa (que também é estudante e cubana), p/ver do que tratariam e se possível conhecer um dos famosos túneis que escavam o piso da faculdade, praça da revolução, partido comunista e hospital (todas edificações pertencentes à um mesmo complexo arquitetônico-espacial). Acabou que ao meu grupo assinou-se uma explicação sobre como os ianques atacariam à Cuba e o que deveríamos fazer.
Toda essa parafernália belicosa terminou por volta do meio dia, c/militares voltando aos seus quartéis e casas c/o sentimento de mais uma vez cumprido seu dever doutrinador sobre a população, e esta se sentindo mais segura com a maravilhosa revolução que as protege e as deixa sem luz elétrica de vez em quando (e isto graças aos malditos ianques c/seu bloqueio "assassino").
E no final, ¡Viva la Revolución!
Será um retorno?
Faz bastante tempo que não escrevo aqui. Aliás, quando escrevi meu primeiro (e único post), nem pensei em divulgar ainda o blog pois estava testando mais ou menos como seriam as coisas. Entretanto, surgiu o UOLKut (agora UOLK, mas continua podre o nome), e meu desejo de sempre gostar de participar em novidades fez c/que meu blog ficasse conhecido e até recebesse comentários!
Portanto, acho que é hora de fazer uso dele. Bem, tentarei. Acontece que sou péssimo com rotinas e nunca consegui passar de um mês em um diário pessoal.



[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
Cuba , GTMO , Guantánamo , Homem , de 20 a 25 anos , English , Spanish , Informática e Internet , Música , Medicina
Outro - Skype: kaarlows

 
Visitante número:
Add to Technorati Favorites